Uma das frases mais frustrantes que alguém pode utilizar é essa: “não consegui”. Ela traz consigo uma carga emocional fortíssima, capaz de desanimar a pessoa mais positiva e entusiasmada. Não conseguir é sinônimo de não alcançar objetivos, não ter êxito, ser derrotado ou desistir de algo motivado por várias coisas. Mas há um outro lado interessante dessa mesma frase. Não conseguir pode ser também um grande alívio, como menciona o humorista Kevin Hart em seu livro I Can’t Make This Up (2017). “Tentei, tentei e tentei de novo, mas não consegui. Dei meu máximo, fiz o que foi possível e até o impossível. Então desisti conscientemente, sem qualquer tristeza ou peso na consciência”, menciona ele. Para Kevin Hart desistir foi um alívio. E essa é a realidade de muitas pessoas diante de algumas situações. Fizeram de tudo, lutaram bravamente, mas não conseguiram. E, então, desistir foi o mais razoável diante da realidade. Foi um verdadeiro alívio, promovendo paz de espírito e – por incrível que pareça – realização pessoal. “Não conseguir”, mas chegar bem perto, pode trazer tanta realização quanto “conseguir”. Essa foi a constatação de Joann Wolski Conn no livro Spirituality and Personal Maturity (1996). O esforço e dedicação nem sempre darão o resultado da vitória, comenta Joann. E precisamos aprender que “não conseguir” não é sinônimo de derrota sempre; por vezes é apenas um indicativo de que temos diante de nós algo que vai além de nossas condições de enfrentamento. E é aqui que entra o alívio de não conseguir. Ao termos lutado, nos esforçado e feito tudo que estava a nosso alcance, já podemos nos sentir vitoriosos, ainda que cheguemos em segundo lugar no pódio ou até que não subamos nele. Nem sempre teremos a vitória; a própria luta, em muitos casos – senão na maioria deles –, pode ser considerada uma vitória. Concorrer, lutar, tentar e outros verbos semelhantes devem gerar o entusiasmo e alegria de fazer parte de um desafio que, sendo ou não superado, já trouxe a realização de pelo menos participarmos da disputa. Não conseguiu?! Que bom que pelo menos você tentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *