Este é o último dia útil de 2017. O próximo – dia 2 de janeiro – já terá inaugurado 2018. O ano de 2017 teve 252 dias úteis, os outros dias foram finais de semana ou feriados. Ainda que mais de 2/3 do ano tenham sido de dias úteis, garanto que muita gente deixou algumas ações justamente para o último dia do ano. Hoje é quando algumas pessoas tentarão resolver pendências e outras se esforçarão ao máximo para colocar situações em ordem, tudo para começarem o novo ano com assuntos resolvidos. Mas, infelizmente, parte deles já não poderá ser resolvida hoje, pois um dia é insuficiente para algumas questões mais sérias e complexas. Para muitos o último dia útil será na verdade inútil no sentido de solução de problemas. Muitos lamentarão o fato de terem que carregar para 2018 pendências de 2017. Porém, a vida é assim: nem tudo se resolve em um dia e nem sempre o desejo de resolver questões é suficiente para solucionar problemas. E aqui entra uma outra questão importante: algumas pessoas não deixaram para a última hora; passaram meses tentando resolver problemas, se esforçaram ao máximo, mas no último dia útil do ano serão obrigadas a admitir que todas as tentativas foram inúteis. Diante dessa verdade – não ter conseguido resolver todas as pendências ou problemas dentro do ano em curso – minha sugestão é: permita que o último dia do ano tenha uma expectativa positiva de inutilidade. Deixe-me explicar melhor: se não conseguir resolver tudo que precisava, não se desespere nem coloque sobre os ombros uma carga excessiva de culpa. O momento é de olhar para a frente e, tendo aprendido a lição, se esforçar para reiniciar os mesmos processos de solução logo nos primeiros dias úteis do ano.

A expectativa positiva de inutilidade pode ser entendida mais ou menos como uma leveza e paz de espírito diante do que não pode ser mudado. “Eu deixei para a última hora e agora é tarde” pode ser uma frase que expressa culpa – e apenas isso – ou pode expressar aprendizado e compromisso em fazer diferente. Se não há nada a ser feito, então, não adianta piorar a sensação aumentando a culpa ou maldizendo a si mesmo, aos outros ou às situações. Se esse é um dia inútil para resolver as pendências deste ano, de alguns anos ou da vida inteira, então, busquemos os próximos dias úteis e refaçamos nossas forças, com uma expectativa positiva, banhada de confiança e motivação suficiente para tentar de novo e dessa vez fazer de uma forma mais vigorosa. Se for o caso, aproveite o último dia útil para descansar, repensar e pedir a Deus discernimento, força, coragem e outras virtudes decorrentes de uma experiência genuína com Deus. Encare esse dia com expectativas positivas. Celebre o último dia útil do ano, ainda que na sua experiência pessoal ele não seja tão útil assim. E, quando 2018 chegar, que você aproveite cada oportunidade e resolva definitivamente seus problemas e suas pendências. Que hoje seja pelo menos um dia útil para refletir, avaliar e tomar decisões de mudança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *